Espelho, espelho meu!

Foi um encontro gostoso, Susana, Teresa, Márcia e eu! Todas alegres, com ansiedade de saber e contar tudo que aconteceu no último ano que passou. A curiosidade crescia a cada momento. Era um atropelar de palavras, assuntos que se emaranhavam e se desenrolavam para serem trazidos a tona novamente.
Cá entre nós, acho que só as mulheres são capazes desta proeza que eu tanto amo e valorizo! Falar alguma coisa, não terminar, pular pra outro assunto e depois pescar lá de trás o que não foi terminado e como se nada  houvesse, hilário isso, vai que vai  continuando…
Somos quatro amigas de muitos anos e conseguimos nos encontrar poucas vezes, pois a vida sempre leva cada uma para um cantinho diferente. É muito difícil descrever ou falar de pessoas, mas nesse caso, somos transparentes nos nossos encontros pois valorizamos a nossa amizade. Coisas que vem lá de dentro, o que fica guardadinho em gavetinhas e que só abrimos com quem achamos que vai saber ouvir. Então, começamos a abrir várias gavetinhas e dentro de uma delas, um assunto que suponho ser de grande curiosidade: – Como você se enxerga no espelho!
Temos uma imagem que gostamos e lembramos muito, o “Eu” mais novo! Pronto, tá aí o mistério de envelhecer. Eu por exemplo, ao ver minha imagem no espelho tendo a me enxergar um pouco mais nova do que sou. Claro que não é todo dia. Mas, sinceramente, estava uma pulguinha atrás da orelha me incomodando com relação a isso! Foi muito, muito interessante saber que minhas amigas tinham essa pulguinha também.
O assunto foi falado e o que vai acontecer depois disso eu não sei, mas tenho certeza que o “Eu” bem marotiiiinho vai continuar existindo! Sei lá, isso deve acontecer com outras pessoas e se cuidar um pouco é bom, não é?
Enfim, foi uma conversa reveladora e outras coisas interessantes vieram. Entre essas, as viagens! O marido de uma delas tem um veleiro e viajam muito. Viagens longas, super interessantes, o que me lembra muito a família Schurmann.
Vou voltar a falar sobre essas viagens. Aguardem…

Comentários

  1. Nosso encontro fortuito deu-me a dimensão humanística de você, que se confirmou com a leitura do texto acima. Obrigada pela oportunidade de conhecê-la. Gostei imensamente de tudo. Suas amizades valem ouro.

    1. Norinha muito, muito querida! Que bom ver você aqui no blog! E sei que está sempre presente! Adoro escrever, e seus elogios me incentivam mais ainda! Como disse pra minha querida amiga Marcia Cozzi,” Loveyou”e continue aqui sempre! Beijo grande!!

  2. Amiga queridaComo gosto de VOCÊ ❣Você tem um estilo delicioso de escrever❣Tenho saudades da Nossa PROSA diária aqui na Rua Santa Maria do Itabira❣#loveyou❤

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *